terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Religião

Vou começar por dizer que, apesar de ter sido baptizada quando era bebé, não acredito em nenhum Deus nem em nenhuma religião. Aquilo que aqui vou escrever é uma reflexão feita ao longo da minha vida e apenas e só a minha opinião, que vale aquilo que vale. Nunca impus as minhas ideias a ninguém nem tenciono fazê-lo agora, simplesmente tenho uma opinião e decidi partilha-la com o Mundo. Cada um é livre de acreditar naquilo que quer.
Nunca compreendi muito bem o fenómeno de se acreditar num Deus. Para mim não tem lógica acreditar numa coisa sem que a veja realmente, sem que hajam provas de que ela existe. Acho ainda mais difícil acreditar numa coisa, quando há provas que apontam para a sua inexistência. Imaginem o seguinte: se eu vos dissesse que existem unicórnios, mesmo que nunca ninguém tenha visto um, que não haja sinais deles e mesmo que através de registos fósseis, etc, seja mais provável que eles não existam, do que que sejam reais, vocês acreditariam? (provavelmente achavam que eu era maluquinha!) Isto para mim, é basicamente o que se passa com Deus.
Vivo em Portugal, e a religião com a qual tenho mais proximidade é obviamente a igreja católica, por ser a religião predominante nesta sociedade. Convivo diariamente com ela, muitos dos meus familiares e alguns amigos são católicos e sinceramente todos os dias me pergunto como é que eles, com toda a informação que têm, nunca sequer questionaram aquilo que a religião deles lhes diz. Pior ainda, é quando condenam aqueles que não acreditam naquilo. Eu nunca cheguei ao pé de alguém que fosse católico, e disse que ele/a era má pessoa por acreditar na religião católica, nem em qualquer outra, mas o que é certo, é que já me condenaram muitas vezes a mim por ter ideias diferentes das deles. Outra coisa que tenho observado, por parte dos católicos que conheço, é que para eles, basicamente tudo o que são outras religiões, são seitas... Oh amigos, então expliquem-me lá o que e que é a vossa religião, e o que é que ela tem a mais ou a menos que as outras? Porque é que a vossa é que é e as outras são todas tanga?
Não conheço obviamente todas as religiões do Mundo. Conheço algumas mais de perto e outras só de ouvir falar, mas tenho a certeza que há centenas espalhadas por aí que eu nem imagino que existam, e uma coisa posso afirmar, nunca nenhuma religião trouxe algo de significativamente bom ao Mundo, aliás, pelo contrário, umas mais que outras, é certo, mas todas elas trouxeram atraso social e cientifico para as sociedades em que estão inseridas, ou até para todo o Mundo. As religiões são um atraso de vida. As religiões são motivos de guerra, de massacres, de mortes em nome de Deus. Posso-vos falar, caso estejam esquecidos, do caso da igreja católica e da Inquisição, que ao longo de séculos, matou milhões de pessoas (muitas mais do que o Holocausto de que todos se lembram e falam), atrasou cientificamente o mundo e a sociedade (principalmente para as mulheres) com o consentimento de todos, em nome do seu Deus. Ou o Islamismo, que muita gente da nossa sociedade condena, principalmente por aquilo que fazem (ainda) às mulheres, pela forma como estruturam a sua sociedade, e pelos seus valores. Amigos não se enganem, se a igreja católica ainda tivesse o poder que tinha antigamente, fazia o mesmo, ou pior, como fez durante séculos. As religiões enganam as pessoas e querem mantê-las o mais ceguinhas possível, pois só assim conseguem subsistir. Elas fazem muitas vezes o contrário daquilo que pregam aos fiéis e mesmo assim eles não abrem os olhos. Pessoas esclarecidas, informadas, que vejam a realidade e se baseiem nos factos, não acreditam em Deus e muito menos numa religião. As religiões foram inventadas por pessoas, como forma de controlar as outras pessoas, como forma de ter poder, não percebo como é que as pessoas não vêem isso. Passo a citar: "O Homem criou Deus para Deus criar o Homem".
E isto leva-me a outra questão. Conheço pessoas supostamente informadas, muitas delas com cursos superiores e por incrível que pareça até na área das ciências que ainda assim acreditam em Deus, e sobretudo, na igreja Católica. E isto só me faz sentido se essas pessoas escolherem acreditar, mesmo que inconscientemente, para terem algo que lhes guie a vida. As pessoas precisam de se sentir seguras, protegidas, acarinhadas, precisam de alguém ou algo que lhes imponha limites, que lhes diga o que está certo e o que está errado, o que podem ou não fazer. Mais ainda, as pessoas precisam de saber porque andam cá. Os motivos terrenos não lhes bastam, precisam de acreditar que foi Deus quem as cá pôs e acima de tudo, que quando morrerem isto tudo não acaba, porque ele as protege (ou não, depende do comportamento). 
E eu pergunto-me para quê?... Para quê preocuparem-se com isto tudo e pensar no que não existe, no que não vêem, no que não sabem, do que concentrarem-se a viver a vida que conhecem, que têm, para quê perderem tempo a viver a vida de forma condicionada, cheia de medos. Basta educação, basta que tenham valores, que pensem em vocês e nos outros, que pensem em como podem ser melhores, que pensem por vocês mesmos, acima de tudo, e não precisam de Deus nenhum. O segredo da vida é pensar, e o resto, vem por acréscimo. Deixo-vos uma imagem, que para mim diz tudo:


Sem comentários: