quarta-feira, 1 de maio de 2013

O meu cão

O meu cão chama-se Mix. É rafeiro e foi encontrado na rua por mim quando era pequenino. Estava debaixo de um carro, todo encolhido, cheio de medo. Eu peguei nele e trouxe-o para casa. Foi o cabo dos trabalhos para convencer a minha mãe a ficar com ele. Ela lá deixou. Nesse dia estava longe de imaginar a peste que em que este cão se iria tornar. O meu cão tem o pelo todo espetado, parece que apanhou um choque. O meu cão ladra para as pombas no quintal, e para os gatos. O meu cão porta-se mal, faz xixi em casa às vezes, apesar de já ter seis anos. O meu cão não pode ver pessoas ou animais a correr, que desata atrás deles para lhes "morder". O meu cão tem uma orelha partida e é branco, e passo a vida com a roupa cheia de pelos dele. O meu cão é a junção de quase todos os cães problemáticos que já vi no programa do César Milan. O meu cão é tipo o Marley do "Marley e Eu" só que mais hiperactivo. O meu cão é tarado sexual e faz bebés com uma almofada em forma de coração. O meu cão é chato, e ciumento. Quase ninguém gosta assim muito do meu cão.
Quando eu olho para o meu cão, vejo o cão mais lindo de todo o universo. Eu olho para ele e babo-me, acho-o genuinamente fofinho e lindo. O meu cão é uma das maiores alegrias da minha vida. É o que me faz sorrir todos os dias quando chego a casa, e de manhã quando acordo ao lado dele e me enche de beijos e me arranha. O meu cão é uma peste, é um rafeiro, e para a maioria das pessoas nem é assim muito giro, tem ar de esgroviado. Mas porra, eu acho-o mesmo o melhor cão do mundo. E ele sabe disso!


O meu cão e um espectáculo, e ai de quem diga o contrário!

1 comentário:

Girafa Teimosa disse...

Mesmo já tendo visto todos os "sintomas" falados por ti (até a parte de ser atacada por estar a correr ao lado dele e por lhe dizer ola quando o vi pela primeira vez) o Mix é um cão muito fofo (mesmo quando está a fazer criação de almofadas e muito sortudo por ter uma "mãe" que gosta muito dele :D